Texto teatral - HOJE É DIA DOS PAIS



HOJE É DIA DOS PAIS
de Emílio Carlos
JOCA – (entra) Oi pessoal!
CLARINHA – (entr) Oi pessoal!
JOCA – Oooooooi!
CLARINHA – Oooooooi!
JOCA – Oooooooi!
CLARINHA – Oooooooi!
JOCA – Oi Clarinha!
CLARINHA – Oi Joca!
JOCA – Oi papais!
CLARINHA – Oi mamães!
JOCA – Oi vovós!
CLARINHA – Oi titios e titias!
JOCA – Clarinha: você não sabe.
CLARINHA – O que, Joca?
JOCA – Hoje é dia dos… pais!
CLARINHA – Êba!
JOCA – E eu estou com um problema, sabe Clarinha?
CLARINHA – Qual é o problema, Joca?
JOCA – É que eu estou fazendo um cartão para o meu pai, sabe? Mas o que eu vou escrever no cartão?
CLARINHA – Ah, Joca: escreve a primeira coisa que vier à sua cabeça.
JOCA – A primeira coisa que vier à minha cabeça?
CLARINHA – É, Joca. Escreve a primeira coisa que vier na cabeça. Assim, ó: Papai, eu:
JOCA - … quero um x-burguer.
CLARINHA – Um x-burguer, Joca?
JOCA – Você falou a primeira coisa que vier na cabeça. Eu estou com fome, né?
CLARINHA – Joca: deixa eu explicar de novo. É assim: escreva uma coisa bem legal pro seu pai.
JOCA – Mas o que, Clarinha? O que?
CLARINHA – (pensa) Bem… escreve assim, ó: “Papai, muito obrigado por me dar a vida”. Pronto.
JOCA – (pensa) É… eu gostei… mas… o que mais eu poderia escrever, hein?
CLARINHA – Você pode escrever assim, olha: “Papai, muito obrigado por cuidar de mim e da mamãe”. Pronto.
JOCA – Ficou bom isso, hein Clarinha?
CLARINHA – Pois é, Joca.
JOCA – Mas o que mais eu poderia escrever, hein?
CLARINHA – Hum… você poderia escrever… Já sei: “Papai, obrigado por passear comigo!
JOCA – Ah, eu gosto muito de passear com meu pai, Clarinha.
CLARINHA – Eu também gosto de passear com meu pai, Joca.
JOCA – Então, Clarinha: tem outra ideia?
CLARINHA – Pode ser assim, olha: “Papai, você é muito legal!” É isso aí.
JOCA – Eu gostei, Clarinha! Que mais eu poderia dizer pro meu pai?
CLARINHA – Você podia dizer assim, Joca: “Papai, muito obrigado por aceitar a missão que Deus te deu de ser meu pai”.
JOCA – Puxa vida, Clarinha! Eu gostei muito dessa, hein?
CLARINHA – É, Joca: ser pai é uma grande missão que Deus deu e que seu pai aceitou.
JOCA – Mas sabe, Clarinha: eu tenho outro problema agora.
CLARINHA – O que, Joca?
JOCA – É que antes eu não sabia o que escrever no cartão. E agora tem coisa demais pra escrever. Não vai caber tudo no cartão.
CLARINHA – Então resume tudo, Joca.
JOCA – Como que eu vou resumir tudo isso, Clarinha? É muita coisa.
CLARINHA – Tenta resumir, Joca.
JOCA – Eu já sei! Eu já sei o que eu vou escrever!
CLARINHA – Então fala, Joca.
JOCA – Eu vou escrever assim: “Pai: eu te amo!”
CLARINHA – Muito bem, Joca!
JOCA – Vamos todos bater palmas para os pais! Êba!
CLARINHA – Êba!
JOCA – Viva os pais!
CLARINHA – Viva!
JOCA – Viva os pais!
CLARINHA – Viva!
JOCA – Tchau pra vocês!
CLARINHA – Tchau!
JOCA – Tchau!
CLARINHA – Tchau!
(saem)
Fim